sexta-feira, 12 de dezembro de 2008


As horas não passam,
E os dias aqui fedem a correria
Descofio até mesmo do que penso sentir
Do amor desses outros sou ateu...

Preciso voltar pro meu interior
Pra sentir o gosto da boa demora
Na rede... e as cantorias da vida alheia
Entoadas pelas vizinhas...

Sentir o gosto da boa comida de casa
E dos sonhos bons...
A saborosa prosa da velha camaradagem...
Que faz eu me sentir como uma boa compahia
Não como parte da paisagem.

Um comentário:

Água Doce disse...

minha doce província...q raiva eu tenho dessa sua saudade...
pq não devoras a metropole e ri?
pq não nos devora e finge q ama e pronto?
mas esses passos escapando corroi quem te ama.