terça-feira, 18 de novembro de 2008

Eu te amo e te amo tanto que poderia ate morrer de tanto amor...e morro.

Morro do tédio de estar sempre te amando e me cansando de viver em torno deste sentimento tão dentro de mim e eu tão dentro dele... de amar sempre teus lábios e ter teu gosto em minha boca por tantos séculos e mau humores...

Meu amor por ti é tão velho e nele se nutri sempre as mesmas histórias e cenários...não consigo evitar... este tédio de amar, esse risco de morte, essa vontade de matar quem morre dentro de mim...tenho os olhos de ressaca, de quem está sempre cansada do narrador da história e das falas...nossa rima não muda...e eu sempre coloco reticências por não ter nada importante a dizer... espero não te escrever ainda sobre esse mesmo amor que de tão forte fraqueja meus olhos, que de tão grande parece minha sombra...que de tão seu engoliu minha vida.



.

Nenhum comentário: